quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O final não era feliz e a história também não era pra ser minha

Partilhar

Na verdade o que sinto por você mesmo é inveja. Invejo essa sua liberdade escancarada, sua vida desregrada e esse desimportar em dar satisfações. O que me encantou realmente foi eu poder olhar em seus olhos e por um momento me ver neles e então sentir aquele friozinho, que denuncia o possível perigo, na barriga. Todo dia era um novo dia e eu me permitia fugir com você, conhecer teus esconderijos, desvendar os teus rasos segredos, sentir o ar puro e também respirar.
Me apaixonei pela tua coragem em querer matar os meus dragões e pelas tuas promessas de um final feliz para sempre. Foi aí que eu descobri que estava vivendo a história errada. Eu não era a rapunzel, nem a branca de neve, nem a bella ou a adormecida, e apesar da semelhança também não era a cinderela. Eu era a ariel, eu era de um mundo e você do outro, você não poderia vim pro meu porque corria o risco de se afogar com tantas regras e outros padrões de comportamento e eu, para ir pro seu, teria que fazer sacrifícios. Para ficar ao seu lado eu teria que abrir mão da minha voz, das minhas crenças, opiniões e de mim. Seria uma escolha sem volta.
E foi a partir daí que eu desisti de finais felizes, passei a desconfiar dos príncipes e comecei a aceitar sapos. Não que eu não me julgue merecedora de um encantado, mas é que prefiro, antes de mais nada, pesar o custo benefício. Às vezes, uma relação sem muitas expectativas pode trazer surpresas incríveis ou não lhe trazer nada, mas tudo bem porque você não estava esperando nada mesmo.
Seria isso viver sem emoção? Seria, mas pelo menos eu sei que assim, eu vou continuar inteira.

1 comentários:

-AnneKptiinee- disse...

"Às vezes, uma relação sem muitas expectativas pode trazer surpresas incríveis ou não lhe trazer nada, mas tudo bem porque você não estava esperando nada mesmo." A.M.E.I esse trecho do post.
vc ta cada dia mais inspirada, hein pequena sabine?

Postar um comentário